Fegobel 2017 – PRIZER Cosmetics presente na maior feira do Centro Oeste Goiano

Aconteceu no último fim de semana a maior feira de beleza do centro oeste goiano. A PRIZER Cosmetics participou e fez a diferença no atendimento aos clientes. A marca foi sucesso em vendas e aceitação do público. A procura por nossos produtos foi intensa e o stand ficou lotado durante os 3 dias de feira.

Esse ano a PRIZER Cosmetics apresentou o lançamento MÁSCARA BOMBA – DESMAIA CABELO – Um produto rico em óleos como macadamia , coco e mamona. O produto proporciona  aos cabelos um desembaraço instantâneo e ainda o efeito desmaiado. O produto foi um sucesso de vendas.

Esperamos vocês na próxima edição , Fegobel 2018 e agradecemos a todos os nossos clientes que marcaram presença em nosso stand!

 

PRIZER Cosmetics.

 

 

Leia mais

Conheça o negócio de beleza que nasceu da venda de um Fusca

Resultado de imagem para beleza

O fusca era verde abacate, carro da moda no final dos anos 70. A motorista era farmacêutica e funcionária pública, mas sonhava com novos horizontes profissionais.

Se o fusca de Lisabeth Braun falasse, ele contaria uma história bem inusitada para uma jovem daquele tempo, quando era incomum ver mulheres empresárias, menos ainda de um negócio novo e praticamente desconhecido no mercado nacional.

Mas o carro só saberia o começo de tudo, porque a primeira coisa que ela fez foi vender seu carro para investir na primeira farmácia de manipulação do país, no Rio de Janeiro. Lá se foi o fusca em busca de outras histórias para contar, e então começou o que seria uma jornada de grande sucesso, que resultou na criação da Dermage.

De farmacêutica a empreendedora

Lisabeth trabalhava em um hospital público no Rio de Janeiro. O emprego parecia perfeito, com jornada reduzida em um ambiente de ponta. Mas ela começou a sentir um grande desânimo quando percebeu que as pessoas, com vinte anos de formadas, continuavam a fazer as mesmas coisas.

Foi quando ela viajou para Buenos Aires e conheceu uma farmácia de manipulação, coisa inédita no Brasil, e a visão empreendedora da família se manifestou.

Lisabeth e Walter Braun, seu marido, são descendestes de imigrantes que chegaram ao Brasil sem recursos, fugidos da 2ª Guerra Mundial e também empreenderam e montaram seus negócios.

Empolgada com as novas perspectivas e com total apoio do marido, a farmacêutica bioquímica Lisabeth pediu demissão e alugou uma pequena sala comercial, onde, com uma sócia, deu seus primeiros passos como empreendedora. Fase em que ela fazia literalmente um pouco de tudo: do plano de negócios ao atendimento no balcão, do contato com os médicos à manipulação das fórmulas. Saiba mais: Tire suas dúvidas sobre como tirar o CNPJ da sua empresa Patrocinado

Da pequena sala, onde ela via as pessoas chegarem, sem acreditar em quantos pedidos recebia, o negócio foi crescendo e logo a farmácia teve que mudar para uma casa maior. Em seguida, vieram outras três lojas.

Ao mesmo tempo, Lisabeth vivia o cotidiano agitado de toda mulher que trabalha: “Era a idade em que eu queria ter filhos, ter minha família, tudo acontecendo ao mesmo tempo, tinha que me dividir para que tudo desse certo”.

E deu certo, tão certo que ela começou a sonhar cada vez mais alto.  Depois de alguns anos, Lisa, como é chamada, e sua sócia resolveram se separar para seguir com novos planos.

Duas vezes empreendedora

Começou então uma nova jornada empreendedora para Lisa. O ano era 1990, e o mundo empresarial já era mais familiar e menos inóspito para mulheres.

Difícil mesmo foi explicar a novidade para o mercado, porque a proposta era realmente começar tudo de novo, com um novo nome (Dermage), um novo logotipo… Enfim, uma nova empresa. Ela fez questão inovar e fazer diferente, mas sempre seguindo os valores que sempre nortearam seu trabalho, marcado pela dedicação, honestidade e credibilidade junto à classe médica. Por isso, “acabou sendo mais fácil do que eu imaginava”, diz ela.

E aí surgiu uma grande ideia: por que não industrializar as fórmulas de sucesso e transformar a empresa em uma marca de dermocosmético? Esse foi o grande diferencial da Dermage, que logo foi reconhecido pela classe médica.

Outra escolha acertada foi cercar-se de pessoas com habilidades complementares e de profissionais das áreas administrativa e financeira muito qualificados, que se dedicaram à gestão de um negócio preparado para realizar os sonhos grandes de sua idealizadora.

Mesmo assim foram – e ainda são – muitos os percalços enfrentados num país que atravessou várias crises e planos econômicos. Nessa jornada, foram muitas noites sem dormir, pensando em como seria o dia seguinte e muita resiliência também para atravessar tantos obstáculos.

Mas, desde o início, Lisa mantém a mesma garra e otimismo: “Você tem que ter um estofo emocional muito grande para conseguir, você tem que estar sempre bem, porque a sua motivação, o seu trabalho, é modelo para os outros que estão à sua volta”.

Apesar desse cenário de dificuldades de toda ordem, que para muitos seria desanimador, Lisabeth sempre investiu na Dermage. A empresa cresceu; o marido, Walter, engenheiro, assumiu a diretoria de produção; e, juntos, eles criaram uma empresa inovadora no mercado de dermocosméticos.

Sucessão familiar

Depois de passar as férias trabalhando na empresa da família, Ilana Braun, filha de Lisa, se empolgou com as oportunidades de fazer algo muito maior, largou o emprego no mercado financeiro e passou a empreender junto com seus pais. Logo no início, aproximou-se da Endeavor e se cercou de mentores que mostraram novas frentes de atuação.

“Foi muito importante porque abriu um leque de pessoas que podiam nos apoiar e mostrar os caminhos. O empreendedor às vezes se sente muito solitário, tem que tomar as decisões, mas está muito sozinho, sem saber o que fazer”, conta Lisabeth Braun.

Com formação e experiência em finanças, Ilana assumiu, trazendo novas perspectivas de crescimento e desenvolvimento. Algum tempo depois, assumiu o cargo de CEO.

Com esse suporte essencial na gestão da empresa, Lisabeth pôde manter o foco na inovação e desenvolvimento de produtos, uma área estratégica para os planos futuros.

Unida, a família aumentou o portfólio da marca – que conta com mais de 300 itens, entre produtos para cabelo, rosto, corpo, maquiagem, spa e nutricosméticos; aumentou os canais de distribuição (entre lojas próprias, franquias e drogarias, espalhados por diversos pontos do Brasil); ganhou credibilidade na classe médica; prêmios em congressos internacionais; e é respeitada por consumidores.

Enfim, o legado para a próxima geração já está definido em uma cultura enraizada na transparência e, como Lisabeth faz questão de enfatizar, “fazer dermocosméticos com alta eficácia e resultados verdadeiros, desenvolvidos por brasileiros e para o clima e a pele dos consumidores (também) brasileiros.”

Universo feminino

As mulheres são o público-alvo da Dermage, e elas também compõem 90% da equipe de colaboradores da empresa. Lisabeth conta que gosta de trabalhar com mulheres porque elas sabem, como usuárias, o que as outras querem.

Ela também valoriza as habilidades femininas em todos os campos: “Existe muito preconceito, mas a gente é tão capaz, tão capaz que consegue levar uma vida dupla e tomar conta de uma família, de casa e trabalhar e ser efetiva em todos.”

Texto publicado originalmente na Endeavor.

Leia mais

Anvisa proíbe venda de desodorante e lote de remédio

São Paulo – A Anvisa proibiu nesta terça-feira (4) a fabricação, a venda, a distribuição e a divulgação do desodorante Florsoll Roll On Lavanda, produzido pela empresa Gleismi Indústria de Cosméticos Ltda.

A medida decorre, segundo a vigilância, da “ausência de notificação ou registro sanitário”. A agência determinou que a empresa recolha o estoque do produto existente no mercado.

A resolução RE 909/17 foi publicada no Diário Oficial da União.

Remédio falsificado

Ainda nesta terça, a Anvisa determinou a apreensão do lote 1310710-4 do medicamento Biomag 15mg (cloridrato de sibutramina), utilizado em programas de perda de peso, em todo o território nacional. Segundo a empresa que fabrica o remédio, o lote foi produzido clandestinamente e não possui registro.

Leia mais

Dove traz mulheres reais em fotografias de Mario Testino

São Paulo – Acostumado a fotografar as modelos mais famosas e belas do mundo, o fotógrafo de moda peruano Mario Testino teve um novo desafio na nova campanha da Dove: fotografar a beleza das mulheres reais.

A campanha “Dove Real Beauty Pledge” traz a celebração da beleza individual e a mostra como fonte de confiança, não de ansiedade.

Nas fotografias estão mulheres raramente contempladas nas fotografias de Moda ou preteridas em campanhas publicitárias – como negras, orientais e mulheres com alguma deficiência física.

Participaram da campanha, também, mulheres cujo corpo não seguem as regras impostas por muitas publicações, grifes e marcas.

O ensaio fotográfico foi produzido pela MARIOTESTINO+, a agência criativa de Testino baseada em Londres.

Mario Testino em trabalho para a Dove: nova campanha sobre a real beleza

Mario Testino em trabalho para a Dove: nova campanha sobre a real beleza (Dove/Divulgação)

Os 30 retratos produzidos trazem 32 mulheres, entre 11 e 71 anos, de 15 países diferentes.

As fotografias serão exibidas em Nova York, na exposição que comemora os 60 anos da Dove.

Desde 2004, a marca mantém a Campanha para a Real Beleza. Em pesquisas, ela já descobriu que uma grande reclamação é a falta de representatividade e diversidade.

71% das mulheres e 67% das meninas gostariam que publicações e campanhas retratasse mulheres de aparência física mais diversa em termos de raça, idade, forma e tamanho.

Em entrevista à EXAME.com, o fotógrafo Mario Testino falou um pouco sobre seu trabalho com a Dove e como ele enxerga questões como padrões de beleza e corpos retocados via Photoshop.

Depois, confira algumas das imagens produzidas.

Mario Testino em trabalho para a Dove: nova campanha sobre a real beleza

Mario Testino em trabalho para a Dove: nova campanha sobre a real beleza (Dove/Divulgação)

Entrevista

Exame – Você pode definir o que é Beleza no século 21?
Testino – A beleza real é uma mistura única do que é externo com a beleza encontrada no interior, mas também é algo que alguém pode sentir – alguém pode ser muito bonito se projeta uma energia positiva. Há, certamente, diferentes estéticas em diferentes tempos, lugares e sociedades. Descobrir isso é muito excitante. Beleza exterior pode ficar chata porque, uma vez que você já a viu, não há mais nada a ser descoberto. A verdadeira beleza vem de dentro e continua a crescer dento de nós.

Exame – Qual a diferença entre fotografar Gisele Bündchen no Rio de Janeiro ou Kate Moss em Nova York e fotografar mulheres que não são modelos em estúdio?
Testino – Muitas delas [mulheres que participaram da campanha da Dove] não sabiam que eu iria fotografá-las até o último minuto. Elas ficaram muito emocionadas quando descobriram. E essa reação me emocionou muito. Mesmo elas sendo mulheres reais e não modelos treinadas, não tive problema em fotografá-las. Foi um exercício bem diferente se comparado com outros trabalhos, mas não tive de mudá-las de maneira alguma, não tive de embelezá-las. Tive, apenas, que trazer a personalidade real delas, o que foi muito interessante. Achei a história de vida delas muito inspiradoras.

Exame – Muitas publicações ainda retocam em excesso as fotografias de modelos. Algumas vezes, criando erros grotescos e gafes hilárias. Por que isso ainda acontece? Como você evita isso em seu trabalho?
Testino – É uma discussão bem traiçoeira. Eu não acredito em retoque para mudar a fisiologia de alguém. Mas retocar não é apenas sobre a manipulação digital. Retocar deveria ser uma ferramenta permitida para realçar o que já existe. Se você quer mudar o cabelo, você corta o cabelo. Isso é retocar. Se você usa maquiagem para realçar o rosto, isso é retocar. Até mesmo ir ao dentista pode ser considerado um retoque. Algumas vezes, quando eu não tenho uma parede da altura que eu quero, eu a aumento digitalmente. Isso também é realçar a fotografia.

Exame – As mulheres da campanha da Dove se comportam de uma maneira diferente no estúdio se comparado com modelos profissionais. Como isso afeta o seu trabalho? Como dirigi-las de modo a criar o efeito almejado pela campanha, de “real beleza”?
Testino – Penso que apenas um sorriso já é o suficiente para você ficar bonito. Nas fotografias, quando todos estão lindos, eles normalmente estão sorrindo. No estúdio, eu me sentei com elas o tempo todo, inclusive na hora de cabelo e maquiagem, e conversei com elas. Tomei café da manhã com elas. Você começa a descobrir quem são.

Fotografias

Leia mais